Servidores denunciam pressão ideológica na elaboração do Enem 2021

Redação, via A Tarde

Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) denunciaram pressão psicológica na elaboração da prova do Exame Nacional do Ensino Médio de 2021. Eles dizem que existiu uma vigilância para que não optassem pela inclusão de assuntos polêmicos que podem incomodar o governo Bolsonaro.

Segundo informações do G1, os funcionários não especificaram as perguntas ou temas que foram barrados por todas as informações do Banco Nacional de Itens, o acervo de onde são retirados os materiais para produção do ENEM, serem sigilosas.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

O documento diz que os servidores relataram “censura ideológica nos itens da prova do Enem” e “sérios indícios de (…) critérios político-ideológicos, mediante proibição de determinados temas e pautas”.

Dos 37 que pediram exoneração do Inep nos últimos dias, dois contaram que o clima no órgão era de intimidação. Sob condição de anonimato, um deles admitiu que algumas perguntas foram vetadas porque “desagradariam o presidente”.

O presidente do Inep, contudo, nega as acusações. A entidade ainda não se manifestou sobre o assunto.