“Por mim não teria carnaval”, diz Bolsonaro em entrevista à rádio de Salvador

Redação, com Metro1

O presidente considera que a realização da festa em 2020, quando ainda não havia casos confirmados de Covid-19 no país, foi um dos fatores que provocou o início da pandemia

Crédito: Marcos Corrêa/PR

O presidente Jair Bolsonaro disse, nesta quinta-feira (25), ser contrário à realização do Carnaval de Salvador em 2022. No entanto, Bolsonaro afirmou que não cabe a ele decidir se haverá ou não a festa e, sim, aos prefeitos e governadores. As declarações foram dadas à Rádio Sociedade.

“Por mim, não teria Carnaval. Só que tem um detalhe: quem decide não sou eu. Segundo o Supremo Tribunal Federal, quem decide são os governadores e os prefeitos. Não quero aprofundar nessa que poderia ser uma nova polêmica”, explicou.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Além disso, Bolsonaro considerou que a realização do Carnaval em 2020, quando ainda não havia confirmação de nenhum caso de Covid-19 no Brasil, foi um dos fatores responsáveis pela disseminação do vírus.

“As consequências vieram. Chegamos a 600 mil óbitos. E alguns tentaram imputar a mim essa responsabilidade. Não tenho culpa disso. Não estou esquivando, nem apontando outras pessoas. É uma realidade, é uma verdade. Todo o trabalho de combate à pandemia coube aos prefeitos e aos governadores. O que coube a mim? Mandar recursos”, reclamou.

O presidente também buscou não se aprofundar no assunto, por considerar que poderia ser gerado “uma nova polêmica”.