Em cúpula, Bolsonaro lamenta falta de acordo para redução de tarifa do Mercosul

Redação, via Bahia.ba

Redução da TEC é desejo antigo do Brasil e era principal meta do país na presidência temporária do bloco

Foto: Reprodução / Youtube

Durante participação na cúpula virtual do Mercosul, nesta sexta-feira (17), o presidente Jair Bolsonaro (PL) lamentou a falta de acordo para estabelecer uma Tarifa Externa Comum (TEC) neste semestre em que o país ocupou a presidência temporária do bloco.

“Lamentamos que não tenhamos podido lograr acordo sobre este tema neste semestre, a despeito dos esforços realizados pelo Brasil, como a nossa disposição em aceitar redução inferior àquela que planejávamos inicialmente”, declarou Bolsonaro, admitindo que a redução da TEC era a principal meta do país.

De acordo com informações do O Globo, a diminuição da tarifa é um desejo antigo do Brasil, cuja atual administração pretende abrir mais a economia para ajudar a controlar a inflação. Segundo o jornal, em outubro o país chegou a firmar um acordo com a Argentina para reduzir em 10% a TEC, mas não conseguiu chegar a um consenso com Paraguai e Uruguai.

Encarregado de articular o acordo com a Argentina, o ministro de Relações Exteriores, Carlos França disse avaliou que redução da tarifa deve ser o principal objetivo do bloco econômico. “Apesar de grande esforço, não foi possível alcançar acordos sobre a revisão da tarifa externa comum que deve permanecer com o objetivo prioritário e incontornável para a modernização do Mercosul”, afirmou.

O mandatário do Paraguai, Mario Abdo Benítez, que assumirá a presidência do bloco no próximo semestre, garantiu que irá trabalhar neste sentido. “Na presidência pro-tempore que assumimos hoje, vamos desenvolver uma agenda dinâmica, pró-ativa, e nesse contexto terá prioridade o processo de revisão da Tarifa Externa Comum, em que já alcançamos uma importante convergência de posições nos últimos meses”, declarou.