Brasil pretende agregar valor a produtos exportados para China, diz Mourão

Segundo vice-presidente, as diretrizes devem favorecer a abertura das relações e investimentos em setores

Foto: Antonio Cruz/ Agência Brasil

O vice-presidente do Brasil, Hamilton Mourão, declarou nesta segunda-feira (23) que o governo brasileiro pretende agregar valor a produtos exportados para a China, principalmente os relacionados à soja, minério de ferro e petróleo. As afirmações foram feitas, referindo-se ao que foi debatido pouco antes, durante a 6ª Sessão Plenária da Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (Cosban) no Itamaraty. As informações são da Agência Brasil.

De acordo com Mourão, as diretrizes que estão sendo elaboradas nos planos bilaterais com o país asiático devem favorecer a abertura das relações e investimentos em setores como agricultura, saúde e comunicações, além de infraestrutura, comércio, educação e sustentabilidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Queremos agregar valor nas três commodities que mais exportamos para a China: soja e derivados, minério de ferro e petróleo”, disse. “E queremos abertura para novos produtos. Hoje, discutimos a questão do trigo que será produzido na Bahia, no Ceará e em Roraima”, acrescentou.

O vice-presidente afirmou também que o Brasil tentará se beneficiar de alguns fundos verdes criados pelos chineses.

“Ano passado, eles [os chineses] criaram um fundo de apoio a ações de combate ao desmatamento visando a promoção do desenvolvimento sustentável da Amazônia. Estamos discutindo formas de termos acesso a esse fundo”.


O APO está no Telegram. Faça parte do nosso grupo, clique aqui.