Ambientalista é assaltado enquanto fazia transmissão ao vivo pelo Facebook

Foto: Reprodução / Extra
Foto: Reprodução / Extra

A polícia de Londrina segue em busca do criminoso que assaltou o ambientalista João Batista Moreira Souza, mais conhecido como João das Águas, na tarde da última sexta-feira, em Londrina, no Paraná, enquanto ele fazia uma transmissão ao vivo em sua página no Facebook. Nas imagens, é possível ver o criminoso chegando armado e anunciando o assalto.

“Já era. Dou um tiro se você não me der o celular. Passa o celular, já era”, diz o criminoso, com a arma apontada para a cabeça do ambientalista. O bandido levou dois celulares, o carro e uma blusa com R$ 200,00 do ambientalista. Pelas imagens, não é possível identificar o criminoso.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

[fbvideo link=”https://www.facebook.com/Joaodasaguasbatistamoreirasouza/videos/1130197040406458/” width=”300″ height=”200″ onlyvideo=”1″]

A situação aconteceu às margens do lago Igapó 3, em Jardim Universitário. Durante a transmissão, João fazia críticas ao governo local. Ao fim do vídeo, é possível ver um homem correndo com uma camisa branca em direção ao ambientalista. É quando o assalto é anunciado. Nos comentários, os internautas que assistiam à transmissão prestaram solidariedade ao ambientalista.

Em uma das publicações após o assalto, João das Águas escreveu que não iria se apavorar por causa do crime.

“Levei um susto terrível, um trauma, mas eu não vou deixar ele me dominar. Não vou deixar de curtir nossos lagos e nossos vales jamais”, escreveu.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O ambientalista ainda fez uma nova transmissão para falar com seus seguidores sobre o ocorrido.

“Estava fazendo um ao vivo, mostrando problemas ali na região do Igapó. Eu sou adepto do Yin-Yang. Todo bem tem um mal, todo mal tem um bem. Então, eu vi que são jovens, né? Três, quatro jovens. Eu vi que os jovens que fizeram esse assalto,amanhã podem se recuperar. Não tenho mágoa deles. Óbvio que sempre tem custo. Mas isso a gente recupera. Depois que acontece, você fica meio perdido, parece que tá flutuando. Mas tem um lado bom: vai chamar a atenção das autoridades sobre a violência londrina”, disse.

O veículo do ambientalista ainda não foi encontrado.

Fonte: EXTRA


O APO está no Telegram. Faça parte do nosso grupo, clique aqui.