Acusado de estupro é preso em Feira de Santana

Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade
Foto: Aldo Matos/Acorda Cidade

Policiais civis da Deam e Furtos e roubos e policiais militares prenderam um homem acusado de praticar estupros nos bairros Mangabeira, Parque Ipê e Conceição I e II, em Feira de Santana, por volta das 14h30 desta segunda-feira (19).

O Juiz da 2ª Vara Crime, Dr. Júlio Gonçalves da Silva Junior no último dia 13 decretou o mandado de Prisão Temporária de Rodrigo da Silva Souza, 22 anos, conhecido como ‘Banzé’, morador do bairro Conceição.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo a polícia, Rodrigo da Silva Souza tentou fugir e acabou ferido, sendo socorrido para o Hospital Geral Clériston Andrade (HGAC), onde recebeu atendimento médico.

A delegada Herundina Nunes Góes Neta Lima, informou que existem queixas registradas contra o acusado e que a partir daí, começaram as investigações.

“A delegada Maria Clécia Vasconcelos, titular da Deam que está a frente das investigações, representou pela prisão temporária e a justiça decretou. Agora a prisão foi cumprida. Vamos continuar as diligências para encaminhar o procedimento à justiça. Vamos buscar provas, reunir elementos para solicitar a prisão preventiva dele”, afirmou.

De acordo com a delgada, uma das vítimas informou que estava dormido dentro de casa quando percebeu que estava sendo tocada nas partes íntimas. “Ela estava com o marido dormindo, mas notou que outra pessoa estava dentro de casa e teria praticado tal ato. Ela tentou identificar a pessoa, o marido também, mas ele conseguiu fugir”, relatou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A delegada Herundina Nunes Góes Neta Lima afirmou que Rodrigo da Silva Souza foi interrogado e seguiu para o Presídio Regional de Feira de Santana, onde ficará a disposição da justiça.

Ao Acorda Cidade, Rodrigo da Silva Souza negou que tenha cometido os crimes. “Não cometi nenhum desses crimes. Estou sendo acusado sem nem saber o que é. Eu estava em casa e fui preso. Não sei os motivos dessa prisão. Só fui preso uma vez por assalto, fiquei preso oito meses. Eu estava em casa o tempo todo e não sabia que estava sendo procurado. Eu não tentei fugir”, afirmou.

Do Acorda Cidade


O APO está no Telegram. Faça parte do nosso grupo, clique aqui.