Banner Prefeitura

Fachin aponta recordes de atendimentos da Justiça Eleitoral no fechamento do cadastro

fonte BN

© Marcello Casal JrAgência Brasil

Na sessão plenária desta quinta-feira (5), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Edson Fachin, comunicou que a Justiça Eleitoral atingiu o recorde histórico de 1.738.808 atendimentos presenciais e pela internet apenas na última quarta-feira (4). A data marcou o último dia para emissão do título de eleitor, transferência ou regularização de pendências antes do fechamento do cadastro eleitoral de 2022.

Segundo Fachin, ao todo, a Justiça Eleitoral atingiu a marca histórica de 8.951.527 pedidos nos últimos 31 dias. Foram 4.557.342 atendimentos presenciais nos cartórios pelo sistema Elo e 4.394.185 pelo Título Net.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Ao destacar os atendimentos, o ministro salientou a capilaridade, a competência e o compromisso com a democracia de servidoras e servidores, coloboradoras e colaboradores, que fazem a Justiça Eleitoral acontecer. “Uma atuação nunca antes vista, e os números são impressionantes. E sem cada um de vocês isso não seria possível”, acrescentou o ministro.

O ministro destacou o sucesso da campanha de mobilização promovida pela Justiça Eleitoral e por parceiros institucionais e sociais, principalmente na convocação dos jovens de 16 e 17 anos para que se alistassem e exercessem o direito do voto nas Eleições Gerais de 2022. O alistamento eleitoral e o voto nessas faixas etárias não são obrigatórios pela Constituição Federal. O ministro divulgou dados parciais sobre o alistamento desses jovens.

Desde quinta-feira (5), não são mais permitidas solicitações de emissão, transferência e mudança no cadastro eleitoral, uma vez que o banco de dados da JE está fechado para as eleições de outubro. Segundo o calendário eleitoral, o TSE divulgará no dia 11 de julho, na internet, o quantitativo final de eleitoras e eleitores aptos a votar, por município, em 2022, bem como o detalhamento e o perfil do eleitorado brasileiro.


O APO está no Telegram. Faça parte do nosso grupo, clique aqui.