Conselho nacional de energia pede retirada de bandeira vermelha da conta de luz após aumento das chuvas

fonte Aratu On

Foto: reprodução/TV Pampa

As chuvas dos últimos dias têm mudado o cenário dos reservatórios de água no país – mas não fez diferença no preço do principal uso ecônomico da água: a geração de eletricidade. O presidente do Conselho Nacional de Consumidores de Energia (Conacen), Manoel Neto, afirma que já podemos dispensar a necessidade de cobrança da bandeira vermelha de Escassez hídrica, cobrada aos consumidores de energia desde setembro de 2021 e com previsão de ser mantida até abril de 2022.

De acordo com o boletim do Programa Mensal de Operação (PMO) do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), o volume de água armazenado nos reservatórios localizados no Nordeste deve alcançar 70,2%. Na Bahia, barragens como a da Pedra do Cavalo tiveram que abrir todas as suas comportas para escoar o volume de água contido nas barragens. A Sudeste/Centro-Oeste deve alcançar o nível de 40% de sua capacidade no fim do mês de janeiro. No Norte, a projeção indica 73,2% e para o subsistema Sul, o volume a previsão é de 34,8%.

O conselho informou que já cobrou a Agencia Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). “Nós, do Conacen, estamos apresentando as informações junto à Diretoria da ANEEL e formalizando nosso pedido para que essa cobrança cesse imediatamente. Precisamos aliviar o bolso dos consumidores de energia elétrica do país”, afirma Neto.