Banner Prefeitura

Prefeitura de Alagoinhas é uma das primeiras do Brasil a pagar os precatórios do Fundef

Foto: Roberto Fonseca – Secom

“Alagoinhas entra hoje para a história da Educação do país”, entusiasmou-se o prefeito Joaquim Neto, ao final de seu discurso na manhã desta quarta-feira (22), antes de assinar, juntamente com o secretário municipal de Educação, Gustavo Carmo, a autorização do pagamento dos precatórios do FUNDEF aos professores da rede municipal.

Vitória da Educação e mais um compromisso assumido e cumprido pelo prefeito Joaquim Neto e sua equipe de governo, o pagamento ocorre após homologação junto à Vara de Fazenda Pública da Justiça Estadual, do acordo com os critérios para o rateio firmado com os sindicatos que representam a categoria, a APLB e o SINPA.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Foram mais de 25 anos de espera dos professores. E todos que lutaram, os profissionais da Educação, os representantes de sindicatos, as equipes jurídica e econômica e o corpo técnico da Secretaria da Educação, a primeira – dama, Ludmilla Fiscina, e o nosso legislativo, compartilham hoje esse sentimento de vitória. Precisamos agradecer especialmente ao prefeito Joaquim Neto, pelo compromisso e firmeza na condução do processo, para que a gente pudesse avançar”, afirmou o secretário Gustavo Carmo.

“Foi uma complexidade muito grande, até obtermos a segurança jurídica para proceder o pagamento. Houve primeiro a proibição de pagamento, depois lei para pagar, veto dessa lei, derrubada do veto e outras decisões. Mas o importante é que sempre houve o interesse e a disposição para pagar. Trabalhamos sem parar por mais de um ano e meio, e saímos na frente com a Lei Municipal. Isso é mais uma mostra que a Prefeitura prioriza e valoriza a Educação. Foi assim com o reajuste salarial de 33,24% no piso salarial, e agora, com o Fundef”, completou o secretário.

O pagamento já começa a ser feito nessa quarta-feira (22), tornando Alagoinhas uma das primeiras cidades do Brasil a respeitar esse direito dos professores e cumprir todas as etapas jurídicas e administrativas para o repasse de 60 % dos valores recebidos pelo município, relativos a essa dívida da União com a categoria.

Com o repasse, serão mais de R$ 51 milhões injetados na economia da cidade, beneficiando 958 professores da Educação Básica que atuaram entre 1º de janeiro de 1998 e 31 de dezembro de 2021, entre ativos, inativos, aposentados e falecidos (estes últimos representados por seus herdeiros), de acordo com os critérios estabelecidos em lei municipal, que levam em consideração o tempo efetivo de exercício na atividade e a jornada de 20h e 40h semanais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com a Secretaria Municipal da Fazenda, o pagamento será escalonado. A primeira folha fechada é a dos profissionais ativos, representando um valor de 34 milhões, que será dividido em três lotes, sendo que o primeiro é no valor de R$ 14 milhões e contemplará 212 professores.


O APO está no Telegram. Faça parte do nosso grupo, clique aqui.