PR: Detentos fazem live direto da cadeia para protestar pedindo melhorias em presídio

Redação, com informações de Istoé e RPC Maringá

Foto: reprodução

Os presos da cadeia pública de Sarandi, Região Metropolitana de Maringá, no Paraná, usaram o Facebook para uma transmissão ao vivo, diretamente do presídio, para protestarem pedindo melhorias no sistema carcerário. Cobrindo o rosto com camisetas para não serem identificados, os detentos alegam que são agredidos pelos agentes penitenciários e que o acesso das visitas está sendo dificultado, além da falta de atendimento médico na cadeia.

“O chefe de segurança vem todo ano oprimindo nós e nossos familiares. Dessa forma aí, vocês acham que a gente vai melhorar? Tá formando monstro nessa unidade”, declarou um. “Os chefes de segurança vêm diariamente oprimindo, torturando nós e nossos familiares, nós não temos saúde, não temos um PF (prato feito), a situação está precária em cima de saúde, estamos vivendo em um ambiente desumano, a gente sabe que errou e a gente quer pagar os nossos atos, mas da forma que estamos pagando é desumano”, disse outro. Eles alegam que, em 4 celas, ficam mais de 60 presos.

A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar as denúncias apresentadas pelos presos.

De acordo com a RPC Maringá, o Depen-PR informou que fez uma operação durante esta sexta para a retirada de aparelhos celulares e outros itens ilícitos. Além disso, o órgão afirmou que muitas das reclamações dos presos são improcedentes.

Em relação à superlotação da cadeia, o Depen-PR reconheceu que há excesso de presos, mas disse que está fazendo a transferência de detentos para outras unidades.

Sobre as visitas, o órgão informou que existe a restrição por causa da pandemia de Covid-19.

O Depen-PR disse ainda que os responsáveis pela transmissão ao vivo irão responder criminalmente e administrativamente pela conduta.

Foto: Depen-PR