Banner Prefeitura

‘Dono’ de avião que caiu com Eduardo Campos assina delação premiada

Foto: reprodução/BocãoNews
Foto: reprodução/BocãoNews

Apontado pela Polícia Federal como responsável por entregar propina de empreiteiras ao ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), morto em um acidente de avião, em agosto de 2014, durante a campanha presidencial -,

O empresário João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, conhecido como João Lyra, assinou acordou de delação premiada com o Ministério Público Federal (MPF). Ele é apontado pela Polícia Federal como o responsável por entregar propina de empresas ao ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). Campos morreu em um acidente aéreo em 2014 durante sua campanha presidencial. A propriedade da aeronave foi alvo de investigação da operação Turbulência e mirou três empresários, dentre eles, João Lyra.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O acordo de delação ainda precisa ser homologada pela Justiça. Além dele, segundo o jornal O Estado de S. Paulo, também concordaram em fazer colaboração premiada Eduardo Freire Bezerra Leite e Apolo Santana Vieira.

João Lyra também negociou com os investigadores o detalhamento de todas as transações financeiras realizadas por seu grupo cujos valores são oriundos de superfaturamento de obras públicas e de esquemas envolvendo empreiteiras e o governo de Pernambuco.

Embora a operação Turbulência tenha origem na queda do avião, a PF compartilhou informações com a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba e com o grupo de investigadores da Procuradoria-Geral da República. Para chegar aos verdadeiros proprietários do jatinho, a PF mapeou uma teia de empresas de fachada supostamente utilizadas para lavar e escoar dinheiro oriundo de obras públicas para campanhas políticas. Foram investigados repasses da Camargo Corrêa e da OAS que teriam origem em desvios praticados em obras da Petrobras em Pernambuco e na transposição do Rio de São Francisco.


O APO está no Telegram. Faça parte do nosso grupo, clique aqui.