Flurona: Bahia registra 11 casos em cinco municípios

Redação, via iBahia

Do total de pacientes, seis são do sexo masculino e cinco do sexo feminino, com idades entre 13 e 91 anos

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

A Diretoria de Vigilância Epidemiológica da Bahia registrou 11 casos de Flurona no estado. O balanço foi divulgado nesta sexta-feira (7), após investigações epidemiológicas e análises do Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia (Lacen-BA).

Os casos de infecção simultânea do vírus de Influenza e Covid-19 foram identificados nos municípios de Salvador (6), Feira de Santana (2), Lauro de Freitas (1), Camaçari (1) e Juazeiro (1). Do total de pacientes, seis são do sexo masculino e cinco do sexo feminino, com idades entre 13 e 91 anos. Não há ocorrência de óbitos.

H3N2

De 1° de novembro de 2021 até 7 de janeiro deste ano, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia (Sesab) registrou 1661 casos de Influenza A, do tipo H3N2, distribuídos em 128 municípios. Do total de casos, 348 evoluíram para Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e necessitaram de internação.

Até o momento foram registrados 54 óbitos, em residentes de Salvador (42), Feira de Santana (3), Canavieiras (2), Valença (1), Laje (1), Teixeira de Freitas (1), Cabaceiras do Paraguaçu (1), Urandi (1), Sapeaçu (1) e Camaçari (1).

Covid-19

Nos primeiros seis dias de 2022 foram contabilizados 3.097 novos casos e 48 óbitos pela doença. Na última quinta-feira (6) foram registrados 1.288 novos casos. Este é o maior número desde 12 de agosto de 2021, quando foram notificados 1.362 novos casos de Covid-19 em 24 horas.

Em comparação com o mesmo período de dezembro de 2021, o incremento é de 14,6%. Já em relação a novembro do ano passado, o acréscimo é de 37,40%. A Secretária da Saúde do Estado, Tereza Paim, alerta que é necessário manter cuidados como usar máscaras, evitar aglomerações e completar o esquema vacinal contra a Covid-19.

“É preciso que a população leve a sério as recomendações. O momento é crítico e pode se agravar ainda mais caso não tenhamos os cuidados necessários”, afirmou.