Cade abre inquérito para investigar conduta de preços da Acelen na venda de gasolina e óleo diesel

De acordo com as manifestações dos sindicatos, a Acelen estaria comercializando gasolina A e diesel S10 a valores mais altos na Bahia, comparado a outros estados

Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil

O Tribunal do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) homologou o despacho apresentado para investigar se há conduta de infração concorrencial com referência a preços praticados pela refinaria de Mataripe (BA), operada pela Acelen.

O inquérito, apresentado pelo conselheiro Gustavo Augusto, tem como proposta investigar a conduta da empresa e os preços de venda de óleo cru.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com as manifestações dos sindicatos, a Acelen estaria comercializando gasolina A e diesel S10 a valores mais altos na Bahia, comparado a outros estados.

“Essa investigação do CADE será de grande importância para explicar à sociedade os aumentos de preços constantes e elevados praticados pela Acelen no mercado baiano”, afirma o presidente do Sindicombustíveis Bahia, Walter Tannus.

Procurada, a Acelen informou que não comenta inquéritos em andamento.

Em nota, o Ministério De Minas e Energia afirma que não há qualquer tipo de tabelamento nem fixação de valores máximos e mínimos, ou qualquer exigência de autorização oficial prévia para reajustes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“A ANP não regula preços ou quantidade ofertada, mas atua para a proteção do processo competitivo dos mercados. Quando toma conhecimento de fato que possa configurar indício de infração da ordem econômica, a Agência comunica imediatamente ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), para que este adote as providências cabíveis no âmbito da legislação pertinente (Art. 10, Lei nº 9.478/1997)”. *Fonte iBahia


O APO está no Telegram. Faça parte do nosso grupo, clique aqui.