Acidentes em rodovias baianas duplicam em 2022, aponta estudo

Redação, com informações do iBahia

Na Bahia, rodovia com mais registros de acidente de 2018 a 2021 é a BR-101

Foto: Divulgação / PRF

O número de acidentes em rodovias baianas duplicaram nos seis primeiros meses de 2022, em comparação ao mesmo período do ano passado. Os números foram revelados pelo mapeamento da Fundação Dom Cabral com dados da Polícia Rodoviária Federal (PRF).

Neste ano, foram 30.32 acidentes em rodovias federais na Bahia, que significa um aumento de 97%, quase o dobro em relação aos 1.534 acidentes nos seis primeiros meses de 2021.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Na Bahia, a rodovia com mais registros de acidente de 2018 a 2021 é a BR-101, que tem gestão pública e 3.358 casos. A via passa por cidades baianas, como Alagoinhas, Cruz das Almas, Santo Antônio de Jesus, Itabuna, Eunápolis e Teixeira de Freitas.

A segunda da lista é a BR-116. Neste caso, a gestão é dívida entre pública e privada. Na via, foram registrados 2.171 casos no trecho com concessão e 1209 no trecho público. Essa rodovia passa por cidades como Feira de Santana, a cerca de 100 quilômetros de Salvador e segunda maior cidade do estado.

Confira lista com as 10 rodovias federais com mais acidentes de 2018 a 2021 na Bahia:
1 – BR-101: 3.358 (gestão pública)
2 – BR-116: 2.171 (concedida) e 1209 (gestão pública)
3 – BR-324: 1.391 (concedida) e 499 (gestão pública)
4 – BR-242: 1274 (gestão pública)
5 – BR-110: 709 (gestão pública)
6 – BR-407: 556 (gestão pública)
7 – BR-367: 343 (gestão pública)
8 – BR-135: 218 (gestão pública)
9 – BR-020: 193 (gestão pública)
10 – BR-418: 154 (gestão pública)

Risco maior em rodovia pública
Ainda segundo o estudo da Fundação Dom Cabral, o risco de ocorrer um acidente em rodovia sob gestão pública é até quatro vezes maior do que em rodovia concedida à iniciativa privada.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Durante o período, foram registrados 264.196 acidentes de trânsito em rodovias sob jurisdição federal, sendo que a incidência desses acidentes foi maior nas rodovias que são administradas pelo Poder Público (79,7%) do que nas rodovias concedidas (20,3%).

Quando se considera a gravidade dos acidentes, a taxa correspondente às rodovias sob gestão pública corresponde a 80,4%, enquanto nas vias concedidas é de 19,6%.

O estado brasileiro que apresenta a maior taxa de acidente e também a maior taxa de severidade [gravidade] é o Rio Grande do Sul, seguido pelo Paraná, Minas Gerais, Santa Catarina e Rio de Janeiro.


O APO está no Telegram. Faça parte do nosso grupo, clique aqui.